Informativo nº 12 – Novo pacto entre Ibama e INPE

Por Nathalia Pires

A Floresta Amazônica, além de ser essencial na absorção do gás carbônico, é responsável pela regulação do regime das chuvas em grande parte do país, inclusive no Sudeste, região que esta sofrendo um período de seca. No entanto, desmatamento desta importante floresta vem crescendo, o que representa um enorme problema ao combate contra o aquecimento global.

O sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real (Deter), que conta com imagens de satélites, mostra que no norte do país há uma tendência de crescimento do desmatamento. Segundo dados gerados por esse sistema, somente nos últimos três anos houve um aumento de cerca de 49% nas taxas correspondentes entre agosto de um ano a julho do ano seguinte. O Projeto de Monitoramento da Floresta Amazônica por Satélites (Prodes), responsável pela emissão oficial das taxas de desmatamento da Amazônia, em seu ultimo levantamento, indicou que houve um aumento de 29% nas taxas de desmatamento em relação ao período anterior (agosto de 2012 a julho de 2013). Tais dados indicam que o Brasil corre o risco de terminar o ano de 2014 com a pior performance ambiental dos últimos anos.

Diante desse quadro, o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ), que tem como objetivo executar ações relacionadas ao meio ambiente que fazem parte da política nacional, e o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), responsável pelo Deter, firmaram um pacto no dia 07/11/2014 que tem como objeto reduzir o desmatamento da Amazônia. O programa visa combater o crime organizado que atua na extração de madeira e em outras atividades ilegais na região. Para melhorar a atuação de tais órgãos, entrou em teste o novo Sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real (Deter B), o qual produz imagens de satélite de maior resolução em relação ao Deter, facilitando as operações de fiscalização. Um protocolo criado pelos dois órgãos garante a segurança das informações geradas por esse sistema, impedindo que elas sejam usadas por criminosos.

Com a cooperação entre o Ibama e o INPE espera-se uma mudança no quadro de crescimento do desmatamento, pois permitirá maior efetividade no planejamento e execução das ações de combate à esse crime.

Fontes e referências:

http://www.ibama.gov.br/publicadas/cerco-ao-crime-na-amazonia

http://www.wwf.org.br/informacoes/noticias_meio_ambiente_e_natureza/?42102/Alerta-desmatamento-na-Amaznia-tende-a-crescer